DNA Financeiro: De pai para filho!

DNA financeiro

Vamos abordar neste artigo, um tema extremamente importante no desenvolvimento financeiro e patrimonial de uma família. O principal motivo de gastarmos tantas horas de trabalho no dia a dia é a satisfação das necessidades de nossa família. Uma família bem equilibrada em suas finanças experimenta uma boa qualidade de vida.

Agora preste atenção nesta lógica! Quando abrimos um novo negócio, investimos nele muito tempo, trabalho e dinheiro e por muito tempo tratamos deste negócio como uma planta em desenvolvimento, que merece certos cuidados para alcançar bons resultados no futuro. Por isso capacitamos funcionários para realizar tarefas específicas em nossa empresa. Fazemos automação e melhorias tecnológicas para acompanharmos o mercado. Investimos pesado em publicidade e controle de qualidade nos produtos. Preocupamo-nos com a administração, a contabilidade, a produção, a logística, a expansão, estruturas e comportamentos de atendimento e relacionamento com o cliente. Tudo isso para construirmos um legado, um patrimônio financeiro, que terá como fim último, a rentabilidade financeira de nossa família.

.

Então, embasado neste pensamento, eu lhe pergunto: Do que adianta construir todo um legado, um patrimônio, empresas ou negócios, investir tanto tempo, trabalho e dinheiro nisso se não fizermos também todo um investimento na capacitação de nossos filhos para gerenciar aquilo que com tanto sacrifício construímos no decorrer de nossas vidas? Fazemos tudo o que é necessário para que nossos negócios se desenvolvam, mas muitas vezes nos esquecemos de que são nossos filhos, os futuros presidentes de nossas empresas. Não envolver os filhos em seus negócios é o primeiro passo para uma futura ruina do seu patrimônio. Hoje, mas do que nunca, empreendedores de sucesso e visão se preocupam com esta etapa de seus negócios. Uma parte dos lucros obtidos em seus negócios destina-se a cursos de capacitação e administração para seus filhos. Quem não age assim, corre um sério risco. Quantas grandes empresas de renome você conhece que após a morte de seu fundador terminaram em falência.

Desde pequenos, os filhos devem acompanhar os pais em seu ambiente de trabalho e os pais devem discutir e ensinar assuntos pertinentes a suas empresas. Estar inserido nas atividades empresariais dos pais, faz com que os filhos gerem uma mentalidade empreendedora, adquirindo hábitos de estratégia e desenvolvimento social. Pequenas atividades podem ser distribuídas entre eles e todos devem ser remunerados pelo seu trabalho.

.familia reunida educação

.

Lembro-me que aos doze anos de idade meu pai chamava-me para ajuda-lo em algumas tarefas na sua indústria. Hoje também faço o mesmo com meus filhos. Na maioria dos negócios que administro, procuro envolve-los e muitas vezes até escuto suas opiniões para melhoria de algo. Todos eles adquiriram o hábito de poupar. Saber economizar para realizar certos sonhos, já faz parte da família.

Não só uma inteligência empresarial deve ser desenvolvida nas crianças, mas também uma Educação Financeira. Quando esta é realizada de maneira adequada, respeitando os limites do entendimento e idade da criança, traz um benefício imenso para sua formação enquanto pessoa humana. O fato de hoje haver um crescente número de inadimplentes em todo o país, reflete a ausência deste tipo de educação nas escolas e também em casa.

As crianças e os jovens devem desde cedo aprenderem a lidar com situações que exigem discernimento e decisões analisadas em relação aos gastos financeiros. Outra coisa fundamental é a participação de todos da família na hora de fazer o orçamento doméstico e o controle financeiro familiar. Quando todos estão envolvidos, há uma melhor aceitação de decisões tomadas para redução de gastos ou até para investimentos.

Criança é criança e deve viver sua fase de criança. Jovem é jovem e também deve viver sua fase. Porém isso não quer dizer que precisem crescer alheios a um ambiente de planejamento financeiro. Recomendo aos pais que se preocupem com a educação financeira dos seus filhos e também a educação empreendedora. Hoje há milhares de cursos e formadores nesta área. Procure o que melhor se adapta a sua realidade.

Para uma iniciação neste assunto, recomendo um dos cursos do CPT. “Educação Infantil – Financeira e Empreendedorismo”. Abaixo eu coloquei um pequeno vídeo de introdução a este curso.

.

PARA ENCERRAR

Certa vez um amigo me contou uma história de um pai que era um grande empresário, muito rico e possuidor de muitos bens. Seu filho sempre teve tudo do bom e melhor, mas lhe faltou a educação financeira. Seu pai nunca lhe envolveu em assuntos de negócios e ele por sua vez, preferia esbanjar a vida gastando dinheiro com os amigos. Um dia o pai faleceu e tendo aquele jovem herdado uma bela fortuna, passou a viver ainda mais irresponsavelmente e descontrolado. Pensava ele que o dinheiro nunca iria acabar. Faliu todas as empresas da família e terminou afundado em dividas. Acostumado a uma vida de luxúrias, caiu em profunda depressão e no ápice do desespero resolveu tirar sua própria vida. Foi a garagem onde tinha uma corda que sempre estava amarrada e suspensa a uma madeira fincada na parede. Amarrou-lhe a corda no pescoço e pulou rumo a morte. Tamanha foi sua surpresa quando a madeira quebrou com o seu peso evitando assim, sua terrível morte. Não entendendo como aquilo tinha acontecido, tomou o pedaço de madeira e observou que alguém o havia serrado quase que totalmente. Pregado na madeira, tinha um envelope com a assinatura de seu pai. Ele abriu o envelope e dentro havia uma carta de seu pai que dizia: “Meu filho, sei que errei na sua educação e não posso mais reparar este erro, porém como lhe conheço, sabia que você um dia estaria aqui nesta garagem, por isso serrei a madeira. Deixo neste envelope um cheque de dez milhões de reais para que você recomece tudo outra vez. Espero que tenha aprendido a lição. De seu amado pai…”.

.

A verdade, é que nem todos temos uma segunda chance, não é mesmo? Então aproveitemos agora para construir nosso futuro. Edifiquemos nossos negócios em fundamentos sólidos. E lembre-se! O maior legado que podemos deixar para nossos filhos não é o dinheiro ou o que ele pode comprar e sim o caráter e a educação que provém do nosso próprio testemunho de vida.

Considere opinar sobre este artigo.

Deixe abaixo seu comentário e marque sua presença aqui no blog!

.

Como-importar-da-china

Author: Marcelo Pessôa

Empreendedor, empresário e investidor atuante no mercado imobiliário. Escritor do Ebook "Como Montar sua Fábrica de Chinelos". Webmarketer, desenvolve a criação de sites e lojas virtuais, entre eles, destaca o "ideiasfinanceiras.com". Uma frase: "Meu negócio é fazer negócios" - Marcelo Pessôa

Share This Post On

3 Comments

  1. Olá Marcelo

    Gostei muito do assunto e achei bastante oportuno para sanear a geração futura.
    Os filhos que interagem também nos assuntos financeiros dos pais, tendem a serem excelentes investidores e empreendedores.

    Post a Reply
    • Obrigado pelo comentário Maria do Carmo.

      Você disse tudo. É no reflexo dos pais que os filhos se espelham. Uma boa educação financeira cria uma base sólida para futuros administradores. Penso que este assunto deveria ser incluido na grade escolar.

      Post a Reply

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais em Educação Financeira
Equilíbrio Profissional! Vida e Trabalho
Fechar