Equilíbrio Profissional! Vida e Trabalho

equilibrio

Trabalho e Vida

.

Equilibrio Profissional

Vivemos em uma sociedade onde o ritmo de vida está extremamente acelerado.  O consumismo tornou-se o alvo dos objetivos de muitas pessoas. As empresas, indústrias, o comércio buscam constantemente lançar novos produtos e quem ainda não tem aquele novo relógio, ou o último lançamento de celular, a sandália que “fulana” usou na novela, e muitas outras coisas, sente-se quase que na obrigação de possuir imediatamente tais produtos com o fim de permanecerem “atualizados”. Não sou contra as novidades e a evolução da tecnologia. Onde eu quero chegar? O que tem haver tudo isso com o tema deste artigo? Responderei esta pergunta com outra pergunta.

Por que devemos trabalhar? E aí surgirão muitas respostas:

– Para ganhar dinheiro e poder pagar minhas contas;

– Para custear minha educação ou a educação de meus filhos;

– Para possuir ou trocar de carro;

– Para pagar o aluguel ou a parcela do financiamento de minha casa;

– Para realizar a viagem dos meus sonhos.

Vou parar por aqui porque esta lista é quase que interminável e depende muito das necessidades de cada um. Observamos então, que trabalhamos para suprir nossas necessidades. Isso é completamente normal e saudável.

Mas por que trabalhamos tanto? E aí vou chegar ao ponto fundamental deste artigo. Trabalhamos demais porque não temos EQUILIBRIO. A falta de equilibrio em nossa vida financeira e familiar nos exige trabalhar mais tempo para superar as necessidades surgidas. Já não basta mais trabalhar meio período, mas período integral e agora já é preciso trabalhar um período e meio, ou seja, 12 horas de trabalho por dia. Conheço pessoas que levantam às 4 da manhã para trabalhar e chegam em casa às 9 da noite. Verdadeiros guerreiros, porém o que estão fazendo de suas vidas? Considerando que ao chegar em casa precisão dormir logo, pois noutro dia precisam acordar cedo, muitos quase nunca encontram seus filhos acordados e o diálogo familiar torna-se quase nulo. Este desequilíbrio financeiro reflete no âmbito familiar. Penso que muitos conflitos familiares surgem a partir daí.

A falta de equilíbrio provém de vários fatores:

– Descontrole dos gastos pessoais e familiar (desejo descontrolado de possuir novidades mesmo sem condições);

– Falta de planejamento de metas e objetivos em sua vida;

– Falta de organização em seu orçamento financeiro;

– Estar preocupado em sempre gastar e nunca investir em algo que lhe gere retorno financeiro;

– Querer viver um padrão de vida que não se enquadre em sua realidade.

Claro que também existem fatores involuntários que geram desequilíbrio financeiro, como acidentes, morte e invalidez, mas me refiro a um desequilíbrio costumeiro.

“TRABALHO DEMAIS PORQUE PRECISO NECESSITO CUMPRIR COM TANTOS COMPROMISSOS ADQUIRIDOS”. O RESULTADO DISTO É UMA MÁ QUALIDADE DE VIDA PESSOAL E FAMILIAR.

Você poderá agora me questionar dizendo: “Mas já trabalho tanto assim exatamente para oferecer uma boa qualidade de vida a minha família”.  Portanto eu lhe pergunto: Será que realmente o fruto de todo seu trabalho está lhe promovendo uma boa qualidade de vida? O que você entende por qualidade de vida?

Será que toda esta correria não estará lhe causando problemas de saúde, como stress e todos os sintomas causados por ele? Será que teu cansaço não está impedindo de haver diálogo em tua casa? Quais serão as consequências na educação e na vida de teus filhos a tua ausência? Eles poderão estar sendo educados pela babá ou pela televisão e isso se refletirá na adolescência. Será que tua produtividade no trabalho não vem caindo por conta de toda esta correria? É bom pesar na balança o que realmente entendo por qualidade de vida.

Agora gostaria de apresentar uma alternativa diferente onde o equilibrio “vida x trabalho” é primordial para uma boa qualidade de vida. Vou citar algumas atitudes que poderemos adotar em busca deste equilíbrio.

1 – Comece por reduzir gastos para que você não precise trabalhar tanto para ganhar rios de dinheiro que vão embora só em contas a pagar. Saiba ter discernimento nesta hora para reduzir gastos sem necessariamente prejudicar sua vida e a dos outros. Por exemplo, viver as escuras dentro de casa para economizar energia, rsrsrsrs…

2 – Agora em sua planilha de orçamento financeiro, coloque a realidade do que você ganha (ou a renda familiar) e dos seus gastos fixos necessários. Lembre-se que suas despesas jamais poderão ultrapassar sua receita. Isso é matemático e lógico! Se isso está acontecendo, você precisa iniciar imediatamente um plano de recuperação de suas finanças. Recomendo que leia outro artigo onde trato deste assunto (Você tem dívidas? Como sair delas?). Procure mensalmente “seguir a risca” seu orçamento programado. Seja fiel a ele.

3 – Chegou a hora de planejar. Trace metas e objetivos em sua vida. Sonhos e desejos a alcançar devem ser atingidos dentro de um tempo pré-estabelecidos com planejamento e organização, concluindo etapas e construindo um caminho para se chegar a eles. É aqui que muitos se perdem por não querer esperar para realizar seus sonhos. Ultrapassam seus limites financeiros e a todo custo querem logo possuir ou fazer acontecer seus desejos. Recomendo uma boa leitura do artigo “Criar Metas, Alcançar Objetivos”.

4 – Jamais gaste todo seu dinheiro! Se você fizer isso, nunca irá mudar de vida. Reserve ao menos 10% de sua receita para investimentos. Não quero aqui abordar em que você deve investir, mas invista em algo que lhe gere retorno. Fazendo isso, entenda que seu dinheiro está a cada dia crescendo mais. e claro, como consequência, melhorando sua vida financeira. Leia também o artigo “Porque é interessante fazer investimentos”.

5 – Busque novas alternativas de rentabilidade. Não ponha todos os ovos na mesma cesta, pois se ela cair todos eles quebrarão. Quem sabe dos 10% reservados ao investimento, você poderá iniciar um negócio próprio, paralelo ao seu trabalho atual e um dia estar dedicado totalmente a ele, fazendo seu horário e sendo seu próprio patrão.

6 – Dedique 2 horas por dia realmente a sua família. Escute como foi o dia dos seus filhos e brinque com eles. Converse com seu conjugue, lhe dê um pouco de atenção (isso só dá para fazer com a televisão desligada, rsrsrs). Reserve 1 (um) dos quatros finais de semana do mês, para saírem juntos em lazer. Com o equilíbrio dá para fazer isso todo mês.

Você verá que essas simples atitudes irão lhe gerar melhorias em sua saúde física e espiritual. Vai também melhorar o relacionamento familiar com seu conjugue e seus filhos. E tudo isso cria um ambiente de paz onde aí sim, começa a fazer sentido os resultados do seu trabalho.

Lembre-se: “O trabalho foi criado para o homem e não o homem para o trabalho”.

Para finalizar este artigo, gostaria de testemunhar que no passado eu também tinha uma vida corrida, trabalha até altas horas da noite, meu celular não parava de tocar, não conseguia dormir direito com tantos pensamentos no que tinha de fazer noutro dia, enfim, um dia resolvi dar uma guinada e mudei completamente minha rotina e minhas atitudes. Usei os passos que acima recomendei e hoje administro mais negócios que no passado, porém de forma equilibrada, onde passo o maior tempo de minha vida perto de minha família que para mim é a essência final dos resultados de todo meu trabalho

.

E você, o que pensa sobre equilíbrio “trabalho x vida”?

Não esqueça de deixar seu comentário.

.

Como-importar-da-china

Author: Marcelo Pessôa

Empreendedor, empresário e investidor atuante no mercado imobiliário. Escritor do Ebook "Como Montar sua Fábrica de Chinelos". Webmarketer, desenvolve a criação de sites e lojas virtuais, entre eles, destaca o "ideiasfinanceiras.com". Uma frase: "Meu negócio é fazer negócios" - Marcelo Pessôa

Share This Post On

2 Comments

  1. Marcelo,

    Gostei muito da relação da cesta de ovos, e isso funciona muito bem ao gerir um blog, onde precisamos ponderar investimentos diferentes e ter um grande equilíbrio na gestão do projeto como um todo, evitando “arriscar tudo em um único ponto”. Ótimo artigo.

    Abraços 😛

    Post a Reply
    • É verdade Bruno, como investidor, sou a favor de sempre arriscar, porém analisando os fatos e buscando um equilíbrio entre o que se deseja e o que é realmente possível em um projeto. Obrigado!

      Post a Reply

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais em Auto Ajuda, Educação Financeira
Faça a Diferença! Isso dá resultado
Fechar